menu
Colégio S. Gonçalo Apoiodo pelo Ministério da Educação
Colégio em 1931 Colégio em 1971 Colégio em 2012
1931 1971 2012
Menu Horizontal pesquisar
Destaque

 

 

 

 

 

 
Bárbara Luís: a aluna que teve 20 valores a Matemática A e 19,3 valores a Português. E 20 valores a todas as outras disciplinas.

Bárbara Luís acabou o 12.º ano com média de 20 valores. Este nível de aproveitamento, por si só, já é digno de destaque. Mas o que faz de Bárbara uma aluna de topo está na proeza de ter obtido 19,3 a Português e 19,5 a Matemática A, nos exames nacionais de 2018.
Integrada num grupo-turma onde vários alunos conseguiram sobressair pela excelência do seu desempenho escolar, como são os casos da Maria Teresa Oliveira, da Inês Moura, da Joana Sousa e da Marta Pinheiro, com uma média de secundário de 20 valores, a Bárbara Luís sobressaiu por ter tido 20 valores na nota interna de Matemática A e 20 valores no exame nacional dessa disciplina. Mas a verdadeira façanha da Bárbara Luís, assim como da Maria Teresa Oliveira, foi terem acabado o 12.º ano com 20 valores a tudo. Sim, estas duas alunas tiveram 20 a todas as disciplinas, tal como já tinha acontecido na frequência do 10º e do 11.º anos.
Em síntese, a coincidência entre a média do final de secundário e a nota do exame de Matemática A faz da Bárbara Luís uma aluna diferente. Se tivesse obtido mais duas décimas na classificação do exame nacional de Português (conseguiu 19,3 valores), a Bárbara teria alcançado o feito extraordinário de ter 20 valores nos dois exames nacionais. Para o Colégio de São Gonçalo, para os professores, todos os professores que trabalharam com a Bárbara, o sucesso escolar excecional da Bárbara é motivo de grande orgulho. “Olhar para as fichas biográficas da Bárbara e da Maria Teresa e verificar que, no percurso de três anos do ensino secundário, obtiveram sempre 20 valores a todas as disciplinas é um feito extraordinário e que nos envaidece.”, sublinha António Costa, professor que teve a seu cargo a direção de turma de Ciências e Tecnologias e que, portanto, acompanhou de perto o sucesso da Bárbara Luís, ao longo dos três anos do ensino secundário. “Tive o privilégio de poder trabalhar com um grupo excecional de alunos, jovens inteligentes, curiosos e desafiadores, empenhados em atingir os seus objetivos pessoais e adotando como princípio da sua vida escolar o «comprometimento». Quando assim é, trabalhar com estes alunos é um prazer!”, conclui o mesmo professor.
Para se compreender um pouco melhor quem é a Bárbara, basta «escutar» as palavras da mãe, Licínia Marinho: “É com grande orgulho que testemunho o sucesso da minha filha, no final desta etapa da sua vida. Os seus resultados brilhantes espelham a menina determinada e empenhada que é e são exemplo de que o esforço e a dedicação conduzem ao êxito. Certamente, terá um futuro risonho, já que é uma menina de ouro em todos os aspetos.”.
Mas desengane-se quem possa pensar que a Bárbara Luís é um «rato de biblioteca», a aluna marrona. Ela tem competências sociais e comunicativas muito ativas e ajuda muito os colegas. Além disso, consegue organizar-se de modo a poder ter atividades extracurriculares. Entre outras atividades, a Bárbara frequenta as aulas de Jazz, na Academia de Dança de Amarante. Quando se exibe num palco, a par da graciosidade, saltam à vista o empenho, a concentração e o rigor com que executa as coreografias. E, depois, há o sorriso de Bárbara. É impossível ficar indiferente à graça do seu sorriso, à simpatia contagiante.
Com a média obtida, a Bárbara acredita que vai conseguir entrar para a Faculdade de Medicina da Universidade do Porto.
Em suma, o caso da Bárbara Luís pode e deve ser inspirador para todos os alunos porque ela é o melhor exemplo de que o saber ser e o saber estar configuram a fórmula mágica que conduz ao sucesso. Para se ser um aluno de excelência, importa ser-se metódico no trabalho, dedicado, disciplinado, confiar nas suas capacidades e assumir uma filosofia de vida equivalente àquela que a Bárbara aprendeu com Ricardo Reis, aquando do estudo da heteronímia pessoana: «Para ser grande, sê inteiro: nada/Teu exagera ou exclui. / Sê todo em cada coisa. Põe quanto és / No mínimo que fazes.».
Colégio São Gonçalo
17/07/2018



Publicado em: 04/08/2018 06:41:52 Partilhar

©  Grupo de informática/informática de gestão @ Colégio de S. Gonçalo - AMARANTE - 2010/2012
users online:       IP: 54.80.188.87: